Sob novo comando, dramaturgia da Record vai insistir no fracasso

André Santana

Foi-se o tempo em que a Registro Tem como objetivo principal localizar ou situar a Globo com sua dramaturgia. O slogan “caminho para a liderança” nunca pareceu tão distante como agora, neste momento em que a emissora está cedendo a produção de novelas para a Igreja Universal do Reino de Deus.

Reis - Silvia Pfeifer
Divulgação/Registro

Prova disso é que o canal programou uma reprise das primeiras temporadas de reis, aos sábados, ao mesmo tempo em que são confirmados dois novos episódios da novela bíblica. A insistência de um produto que está longe de ser campeão de audiência mostra que o objetivo de Reis é outro.

CONTINUAR APÓS A PUBLICIDADE

nova temporada

Reis - Andrea Avancini e Roberto Birindelli
Reproduzir / Gravar

Até o momento, a Record exibiu cinco temporadas de Reis, que foram lançadas ao longo de 2022. Agora, a equipe começará a gravar as duas próximas temporadas, batizadas de A Conquista e O Pecado. Concordar com Flávio Ricco, colunista do R7a intenção é registrar as duas fases simultaneamente.

Mas Reis não deve parar por aí. A oitava temporada da produção bíblica também já está com o roteiro concluído e deve se chamar A Consequência. Não há previsão para o fechamento de dois postos de trabalho.

A volta de dois capítulos inéditos de Reis está prevista para maio. Mas, ao mesmo tempo, a Record não pretende deixar o público perder a produção de vista. Tanto que já agendou uma reprise das primeiras fases, que acontecerão nas noites de sábado, em formato de maratona. O repeteco vai até ou a partir das 21h.

CONTINUAR APÓS A PUBLICIDADE

em baixa

Reis-Dúvida Nagle
Reproduzir / Gravar

A insistência em Kings não se justifica, vamos considerá-la a atuação do público da novela (ou “série”, como a Record prefere chamar). Desde sua estreia, em março de 2022, o folhetim vem perdendo audiência semana após semana.

Sua melhor pontuação vem da segunda semana de exibição, entre 28 de março e 1º de abril de 2022, quando registrou média de 9,4 pontos no Kantar Ibope Media.

No entanto, depois disso, fui só escada abaixo. Uma parcela chegou a marca reduzida de 5 pontos. Saiu no dia 5 de dezembro, com média de 7 pontos, que é a média geral da produção.

Apesar de seu modesto público, Reis reúne um elenco pouco conhecido. Paloma Bernardi é o nome mais famoso do próximo elenco, que conta com nomes como Enzo de Sá, Maiara Walsh, Jéssica Juttel, Cris Carniato, Giovanna Abbud e Jakelyne Oliveira, entre outros.

Ou seja, Reis está longe de ser um produto ambicioso, feito para doer tanto quanto as novelas da Globo. É muito claro que, atualmente, os objetivos da Record com a produção passam longe de ganhar público e prestígio.

CONTINUAR APÓS A PUBLICIDADE

produção da igreja

Reis - Igor Rickli
Reproduzir / Gravar

A dramaturgia da Record, há alguns anos, está nas mãos de Cristiane Cardoso, filha do bispo Edir Macedo. Desde que a herdeira da emissora assumiu a direção da teledramaturgia, a vida religiosa passou a comandar as produções da emissora. Além das tradicionais novelas bíblicas, nesta temporada passou a apostar em tramas contemporâneas de fundo religioso, como Amor sem Igual (2019) e Todas as Garotas em Mim (2022).

Assim, o controle da Igreja Universal do Reino de Deus sobre a dramaturgia da Record foi “oficializado” definitivamente em 2023, quando a emissora entregou a produção à igreja. Agora, a Universal se encarrega de reproduzir as obras das novelas/séries, deixando a Record para comprar e exibir dois capítulos. Dessa forma, a emissora reduz custos, já que um eventual prejuízo será bancado pela instituição religiosa.

A insistência em Reis, portanto, justifica-se nesta nova realidade. A dramaturgia da Record, agora, tem como finalidade a doutrina religiosa. Bater a Globo (ou SBT…) na plateia deixou de ser meta.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *