Por que o filme de Whitney Houston não janta na morte?

“Eu quero dançar com alguém – uma história de Whitney Houston” Vá aos cinemas da próxima Quinta-Feira e retrate a vida da cantora desde que começou a fazer sucesso, passando pelo auge da fama, no ápice do abuso de drogas e álcool que colocou em xeque na carreira.

Whitney morreu em 11 de fevereiro de 2012, aos 48 anos, mas sua morte não foi explorada por muito tempo. Em uma entrevista com Splasho diretor Kasi Lemmons (“Harriet”) explicou que a decisão de sair no momento de deixar o filme viu o diretor Anthony McCarten (“Bohemian Rapdsody”).

Para o cineasta, não é preciso mostrar a morte da cantora para celebrá-la. “Entramos na vida dele e vemos o reflexo dele sobre a própria vida, e tudo que ele nos mostrou ao longo do filme nos leva a momentos muito fortes. O papel de Anthony McCarten nunca acabou com a morte dela, ele sempre mostrou um momento bastante edificante de sua vida. .”

O que aconteceu com Whitney?

A cantora estava hospedada no Beverly Hilton Hotel para participar da cerimônia de grammyO que aconteceria no dia 12, daria mais.

  • A última vez que Whitney foi vista foi no dia 9 de fevereiro, em uma festa na boate TRU Hollywood.
  • Na ocasião, ela cantou “Jesus Loves Me” e sua voz era bastante estrondosa, fato que chamou a atenção de dois presentes.
  • Na manhã de 11 de fevereiro, ela foi encontrada em seu cabelo.
  • A cantora estava morta na banheira. Inicialmente, a morte foi dada como acidental.

Em exames póstumos, foram identificados cinco tipos de drogas no corpo do cantor: maconha, difenidramina, alprazolam, ciclobenzaprina e cocaína.

Como é o jantar final do filme?

  • O longa termina com a recriação da famosa apresentação de Whitney Houston no American Music Awards de 1994.
  • Na ocasião, a cantora cantou “I Loves You, Porgy”, “And I Am Telling You I’m Not Going” e “I Have Nothing”.
  • A sequência anterior ocorre um dia antes de sua morte e mostra a recaída do artista que levou ao incidente na banheira.
  • Durante os créditos, o filme explica a trágica morte de Whitney.

amor ‘proibido’

Whitney foi casada por anos com Bobby Brown, mas ele não era seu único amor. O longa aborda a relação lésbica vivida pela artista com sua Robyn Crawford. O nome nunca foi confirmado pela cantora, mas foi bastante discutido em “I Wanna Dance With Somebody – A Whitney Houston Story”.

Ao Splash, a atriz Naomi Ackie, protagonista do filme, explica o motivo de mostrar o relacionamento. “Bem, é o que nos torna humanos, não são apenas as coisas que nos fazem felizes e as coisas que tornam a vida fácil, mas também as coisas que a tornam difícil. Para nos conectarmos com Whitney, precisamos conhecer a história, mas também conhecer o mundo interior em que ela vive. Da mesma forma, é possível ter mais empatia com as coisas pelas quais ela passou. Torne-a humana e mostre que os desafios que ela enfrenta são muito importantes.”

Nafessa Williams, que vive a biografia cinematográfica de Robyn, credita grande importância em apresentar detalhes do amor das duas. “Para mim, [a importância é mostrar] A lealdade de Robyn. Além da consideração e amor que elas tinham una pela outra. Eu acredito que eles são almas gêmeas. Foi muito bom para mim poder mostrá-lo e será muito bom para o mundo poder vê-lo.”

Para interpretar a ex-namorada, Williams disse ao Splash que ela tinha “o máximo de pesquisa possível”. “Não havia muitos filmes que eu pudesse encontrar, no final ela era a assistente executiva de Whitney e é por isso que ela tentou não aparecer na câmera. É muito raro você vê-la na frente da câmera, então foi difícil encontrar imagens. Mas lançou uma autobiografia [A Song for You: My Life with Whitney Houston] E foi ela quem me salvou porque me deu muito do que eu precisava saber. Foi algo muito bom saber explorar.”

Comércio de conteúdo Rodapé - -

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *