Na história 15 mil livros de Gabriel García Márquez queimados por Pinochet

  • Alejandro Millán Valência
  • Dá BBC News em Santiago (Chile)

Fotografia em preto e branco mostra um homem branco falando ao lado de homens em uniformes militares

Crédito, Getty Images

legenda da foto,

Augusto Pinochet virue ditador do Chile com golpe em 1973

Em 28 de outubro de 1986, após vários dias de viagem, o vapor Peban, procedente do Panamá, finalmente atracou no porto chileno de Valparaíso. Enquanto se preparavam para entregar os documentos da afandega, a tripulação recebeu a notícia de que parte da carga seria apreendida.

O capitão, certo de que toda a carga de seu navio estava em ordem, perguntou que mercadoria levariam.

A resposta foi que ele menos esperava: seus livros.

Especificamente, 15 mil espécimes de A aventura clandestina de Miguel Littín no Chile, escrito pelo vencedor do Prêmio Nobel de Literatura Gabriel García Márquez. Os livros foram enviados do porto de Boaventura, na Colômbia, país natal de García Márquez.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *