Enquanto Isso… nos Quadrinhos | Coluna de Érico Assis nº 102

Que você nunca viu, de Paulo Gulacy– o primeiro de Seis de Siriussua parceria autoral com doug moench em 1984.

(qualquer)

sobre ou autor

Érico Assis é jornalista da área de quadrinhos desde que Omelete era nativo. Também sou autor de dois livros Balões de Pensamento – textos para pensar quadrinhos e Balls of Thought 2 – ideias que veem dois quadrinhos.

na coluna

Todas as sextas-feiras (ou quase todas), virando a página da semana nos quadrinhos. Qual é o acontecimento mais importante nos universos das HQs nos últimos dias, a notícia que você não percebeu entre um esquadrão e outro. E ainda: sugestões de leitura, conversas com autores e autoras, as capas e páginas mais marcantes dos últimos dois dias que têm papel interessante no quadrinho nacional e internacional.

#101 – Vocês essências de Angoulême

#100 – O (meu) canone dos quadrinhos

#99 – Uma CCXP melhor de uns, uma CCXP pior de outros

#98 – Os prêmios e os quadrinhos que valerão em 2047

#97 – Art Spiegelman, notável

#96 – O mundo quer HQ brasileira

#95 – A semana do Brasil e o quadrinho brasileiro

#94 – Todo fim de ano um engarrafar

#93 – Um almoço, o jonalismo-esgoto e Kim Jung-Gi

#92 – A semana mais movimentada da nossa história

#91 – Ricardo Leite em busca do tempo

#90 – Acting Class, uma história em quadrinhos querida pelo ano

#89 – Não gostei de Sandman, quero uma segunda temporada

#88 – O novo selo Poseidon e o Comicsgate

#87 – O mundo pós-FIQ: você tem que estar lá

#86 – Quinze lançamentos no FIQ 2022

#85 – O Eisner 2022, histórico para o Brasil

#84 – Quem vem primeiro: o roteirista ou o desenhista?

#83 – Qual brasileiro vai para o Eisner?

#82 – Dois quadrinhos franceses sobre música brasileira

#81 – Pronomes neutros e o que se aprende com os quadrinhos

#80 – retomando esse assunto

#79 – O quadrinista brasileiro mais vendido nos Estados Unidos

#78 – Narrativistas e artistas gráficos

#77 – Jorge Pérez, apaixonado

#76 – Uma menina-robô que não era robô nem menina

#75 – Moore vs. Morrison realmente nos entregou

#74 – O autor-problema e suas adaptações problemáticas

#73 – Cada editora terá seu Zidrou

#72 – Um JBC é uma ponte

#71 – Da cidade submersa para outras cidades

#70 – Um Comix 2000 embalado com o monitor

#69 – Três mulheres, uma Angoulême e a década feminina

#68 – Quem foi Miguel Gallardo?

#67 – Gidalti Jr. sobre ombros de gigantes

#66 – Mais um ano lendo gibi

#65 – A novidade do ano é

#64 – Quando você paga o cabelo que você pode ler sobre a graça?

#63 – Como você conhece os quadrinhos da Marvel?

#62 – prêmios da segunda temporada

#61 – O futuro da sua coleção é um armário

#60 – Vai faltar papel pro gibi?

#59 – Ao editor que vou publicar Apesar de tudo, apesar de tudo

#58 – Os quadrinhos da Brasa e para um editor servir

#57 – Voce vs. para a Marvel

#56 – Novidades sobre os baldes

#55 – Marvel e DC se encolhendo

#54 – Nunca tivemos tantos quadrinhos, não Brasil? Temos mais.

#53 – Flavio Colin e os quadrinhos como sacerdócio

#52 – Ou mercado direto da Hyperion

#51 – Quadrinhos que falam oxe

#cinquenta – Quadrinho não é cultura?

#49 – São Diego é hoje

#48 – Robson Rocha, concelho, risografia e Cão Raivoso

#47 – A revolução de dois quadriciclos em 1990

#46 – Um POC clássico

#Quatro cinco – Eisner não é Oscar

#44 – A fazendinha Guará

#43 – Kentaro Miura, ou karôshi e a privacidade

#42 – A maratona de Alison Bechdel, exausto Laerte, crocodilos

#41 – Os quadrinhos são feitos

#40 – Webtoons, os melhores quadrinhos do mundo

#39 – Como escolher ou o que comprar

#38 – Popeye, Brasileiros na França e Soldado Invernal

#37 – Com licença, vou falar sobre NFTs

#36 – Que as lojas de quadrinhos não prejudiquem a saúde

#35 – Por que a Marvel abalou o mercado ontem

# 3. 4 – Um quadrinista brasileiro e um golpe internacional

#33 – WandaVision era puro sueco por John Byrne

#32 – Biografia de Stan Lee tem publicação garantida no Brasil

#31 – Sem filme, McFarlane aposta em Spawnverso

#30 – HQ dá solução sobrenatural para meninos de rua

#29 – O prêmio de HQ mais importante do mundo

#28 – Brasileiros em 2021 e prévia na Marvel

#27 – Brasileiros pelo mundo e brasileiros pelo Brasil

#26 – Brasileiros em 2021 na Marvel no Capitólio

#25 – Mais brasileiros em 2021

#24 – Os brasileiros em 2021

#23 – O melhor de 2020

#22 – Lombadeiros, lombadeiras e lombadeirismo

#vinte e um – Os quadrinistas e a mostra de filmes e séries

#vinte – Seleções do Vale dos Artistas

#19 – Mafalda e o feminismo

#18 – O Jabuti da HQ conta a história de dois esquadrões

#17 – Um italiano que traz uma HQ brasileira para o mundo

#16 – Graphic novel é rótulo marketeiro?

#quinze – Volta da HQ argentina para o Brasil

#14 – Alan Moore brabo e as biografias de Stan Lee

#13 – Cuidado com o ônibus

#12 – Crise criativa ou crise no bolo?

#onze – Mix de opiniões sobre ou HQ Mix

#10 – Mais um fim para el comic book

#9 – Quadrinhos de quem não desiste nunca

#8 – Como os franceses lêem gibi

#7 – Violência policial nas sedes

#6 – Kirby, McFarlane e as biografias que folheei temporariamente

#5 – Wander e Moebius: o jeitinho brasileiro e as sacanagens francesas

#4 – Cheiro de gibi velho e a falsa morte da DC Comics

#3 – Bolsa e álcool gel: como guardar as HQs em tempos de corona

#2 – Café com gostinho brasileiro e a história dos gibis que dá gosto de ler

#1 – Prêmios Eisner | Mulheres conquistam mais dois prêmios na edição de 2020

#0 – Warren Ellis cancelado, X-Men descomplicado e a versão final de Stan Lee

(c) Érico Assis

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *