Após Pantanal, artista se oferece para refazer clássico da novela da Globo

Marcos Palmeira tem duas passagens marcantes pelo Pantanal, romance de Benedito Ruy Barbosa. Na primeira versão, em 1990, o ator viveu Tadeu, o filho que se sentia rejeitado por José Leôncio (Claudio Marzo). Na segunda versão, ele era o próprio José Leôncio, pai de seu personagem anterior.

pântano

O sucesso destes dois trabalhos deu a Marcos Palmeira a voluntade de viver um outro patriarca de Benedito Ruy Barbosa. Trata-se de José Inocêncio (Antonio Fagundes), ou protagonista de Renascer (1993). Na trama, que marcou a estrela de Benedito na época do oito da Globo, Palmeira vive João Pedro.

Agora, Marcos Palmeira vai para um remake de Renascer e não tem mais chances de encarnar o tipo vivido por Antonio Fagundes no passado. Em entrevista ao site NaTelinha, o artista revelou o desejo de estar no elenco de um possível remake da trama.

“Gostaria muito de renascer e poder ser como o José Inocêncio. Mas é muito pretensioso. A Globo saberá o que é melhor para ela. O Benedito é sempre um clássico”, alertou Palmeira. “São muitas possibilidades. Adoro os meus bons pais e, para eles, estou sempre disponível”, concluiu.

CONTINUAR APÓS A PUBLICIDADE

Mais um remake

renascido

O sucesso da nova versão de Pantanal, que elevou a audiência do nome da Globo, gerou rumores de que outros clássicos de Benedito Ruy Barbosa poderiam ganhar uma nova versão na emissora. Nesse contexto, o Renascer despontou como grande favorito.

CONTINUAR APÓS A PUBLICIDADE

Essa foi a novela que Benedito Ruy Barbosa escreveu quando voltou à Globo, após o sucesso do Pantanal na extinta Manchete. Assim como a história de José Leôncio, a trama protagonizada por José Inocêncio é uma saga familiar.

Viúvo, José Inocêncio é um cacauicultor que tem quatro filhos, José Augusto (Marco Ricca), José Bento (Tarcísio Filho), José Venâncio (Taumaturgo Ferreira) e João Pedro (Marcos Palmeira).

Adriana Esteves em Renascer

O agricultor mantém uma relação conflituosa com esta última, ou caçula, já que sua esposa Maria Santa (Patrícia França) morreu no parto. A relação entre pai e filho após José Inocêncio se casar com Mariana (Adriana Esteves), que se chamava João Pedro.

A Globo não confirma ou tem interesse em repetir ou folhetim. Nem por isso, o sucesso do Pantanal e a falta de autores veteranos para designar futuras produções do mesmo horário podem fazer com que o canal se sinta estimulado a apostar na ideia.

CONTINUAR APÓS A PUBLICIDADE

Obra de Benedito

cabocla

Também pesa a favor de um possível remake de Renascer ou o fato de praticamente todas as novas versões das tramas de Benedito Ruy Barbosa terem feito sucesso na Globo. A estação repete tramas mortas por veteranos desde 2004.

Cabocla (2004) abriu a sequência de releituras de Benedito no horário das seis, seguida de Sinhá Moça (2006) e Paraíso (2009), todas apresentando bons resultados na lista. Houve ainda Meu Pedacinho de Chão (2014), que não repetiu o sucesso dos dias anteriores.

A boa receptividade do Pantanal na época do nome mostrou à Globo que as histórias rurais de Benedito Ruy Barbosa ainda têm alto poder de encantamento do público. Não por acaso, o canal escalou O Rei do Gado (1996) para O Vale a Pena Ver de Novo. Seria um remake de Renascer ou o próximo passo?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *