8 livros católicos para ajudar no discernimento vocacional

Discernir uma vocação é sempre uma tarefa fácil. Olhando para a vida de Jesus, destacamos três aspectos que acompanham os nossos momentos de discernimento: a escuta, o diálogo e a comunidade.

O escudo pode ser colocado em prática nos momentos de oração e também fazendo boas leituras e pedindo ao Espírito Santo que abençoe nossos corações através daquelas palavras, dê o autor.

A Palavra de Deus é o livro mais indicado, mas existem outros autores que também podem ser consultados durante esse discernimento. Confirme:

Se você quer ser perfeito1. Se você quer ser perfeito

Estamos certos de que Deus quer ministros para a sua Igreja e seguidores de Cristo segundo os conselhos evangélicos. O amor de Deus, da Igreja e das almas impõe-nos o trabalho apostólico vocacional de suscitar, promover, discernir, aconselhar, animar, acompanhar e formar vocações para a vida consagrada e sacerdotal. Por experiência, sabemos que também nos lugares mais difíceis e humanamente pobres, Deus suscita vocações. Este pequeno livro pretende ajudá-lo a sentir-se chamado ao sublime estado sacerdotal e religioso. São muitas as reflexões de Santos que irão aprofundar seus estudos e incentivar suas vocações, como São João Bosco, Santo Afonso Maria de Ligório, Santo Tomás de Aquino e nosso Pai Espiritual, São João Paulo II.

Reflexões ao longo de uma fé2. Reflexões ao longo de uma fé

No livro Reflexões ao longo de uma fé, Pe. Zezinho nos convida a diálogos sobre os mais variados temas, em uma coletânea de reflexões escritas ao longo de 45 anos, para despertar em nossos leitores, principalmente os mais jovens, uma paixão espiritualmente engajada, libertadora e penitente que todo cristão deve ter, a fim de aplicar em vida ou que exige uma profissão de fé. Esta é, também, uma ótima dica de leitura para quem busca discernir sua vocação. Através da experiência de vida deste grande pastor, que é ou Pe. Zezinho, é possível se inspirar para seguir sua própria jornada.

Quando Deus chama3. Quando Deus chama

Pronunciamento do autor na abertura do Congresso Internacional da Juventude Religiosa, realizado em Roma, em 1997, sobre o tema “Vimos o Senhor”. A obra é apresentada não como uma conferência ou aula, mas como uma conversa “de igual para igual”, diz o autor, assumindo o papel de um formador, que identifica e se coloca ao lado de dois jovens religiosos com os seus irmãos. Depois de situar a vida religiosa como expressão da juventude da Igreja, aberta ao futuro e cheia de esperança, o autor analisa a vocação como diálogo entre duas liberdades, a de Deus, que chama, e a do consagrado, que abraça ou chama Vida, na fé, no domínio total de si mesmo, não na Igreja e no meio do mundo.

Ou o que você precisa saber antes de sim4. O que você precisa saber antes de sim

Sabemos que nem todos são chamados à vida religiosa e que a vocação à família também faz parte de dois desígnios de Deus para a construção do seu Reino. Por isso, assumir a responsabilidade pela escolha do matrimônio é igualmente importante, junto com outras vocações. Esta obra que indicamos é escrita especialmente para os casais que desejam se unir no sacramento do matrimônio, mostrando o que precisam saber para se preparar com eficácia, assumindo a união, as crises e desafios que o casal possivelmente enfrentará para sempre. ficaremos juntos, Senhor.

Vocação: um desafio de amor5. Vocação: um desafio de amor

É preciso abrir os olhos para o nosso chamado, para que a nossa missão seja cumprida com triunfo. Esta obra nos despertará para a nossa vocação, aquela designada pelo Senhor, para cada um de nós, pelo discernimento do Espírito, aderir à sua vocação nesta terra. Escrito por um dos dois maiores líderes católicos do país, monsenhor Jonas Abib, fundador da Comunidade Canção Nova, o livro trata de uma linguagem simples e descomplicada, ou seja, do horizonte da vocação cristã. Livro ideal para jovens e pessoas que se iniciam no caminho da fé católica.

Ministério diaconal, história e teologia6. Ministério diaconal, história e teologia

Dividido em duas partes, este livro aborda inicialmente a história do diaconato, desde o contexto de seu surgimento, como os Sete Helenistas, para depois passar a tratar da teologia relacionada a este ministério, analisando qual deve ser a contribuição do diácono no mundo hoje. Além disso, não há fim no estudo de uma linha do tempo que traça os principais personagens, acontecimentos e documentos que formarão a visão da Igreja sobre ou “mesas de serviço”.

O discernir dois espíritos7. Eu discerno dois espíritos

No meio do caminho de nossa vida, o caminho que percorremos pode se tornar um tanto sombrio: “Há caminhos que parecem desafios ao homem, contudo, ou seu termo é a morte”. Por isso, a Santa Igreja não cansa de alertar sobre os diversos critérios para corrigir as falsidades e enganos espirituais que seus filhos costumam vivenciar. Esses ensinamentos, que compõem o Magistério e santa Tradição, um tesouro indizível para guiar as almas, estão reunidos nesta clássica obra do Padre Scaramelli. Um livro essencial, que traça o realismo à vida espiritual, sem falsas ilusões quanto às nossas experiências, sem sentimentalismo superficial, mas com estímulo à prudência, à temperança, inclinando-nos à humildade e decepcionando-nos tanto quanto as consolações sensíveis e as emoções passageiras dos sentidos, devoções, ladainhas etc.

Fazer boas escolhas no momento certo8. Fazer boas escolhas no momento certo

Todos os dias, somos levados a tomar decisões. Existem escolhas “pequenas”, aparentemente triviais, mas que podem ter um grande impacto para nós e para os outros. Às vezes, estamos em uma encruzilhada importante, ou temos que negociar uma mudança acentuada de rumo. São decisões que norteiam nossas vidas de forma decisiva e duradoura. Talvez nos perguntemos sobre nossa vocação: matrimônio, sacerdócio ou vida consagrada. Nessas situações, muitas pessoas sentem uma verdadeira dificuldade de escolha, decisão e, às vezes, de prática. Partindo da certeza de que Deus nos quer felizes e sempre nos acompanha, o autor sugere formas de reconhecer nossos erros e, assim, aceitar e aceitar as consequências de nossas escolhas, mantendo-nos firmes em nossas decisões e, assim, aprendendo a viver. com uma grande liberdade interior e de forma responsável e iluminada.

__

Para

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Curitiba

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *