5 vezes em que Bonner e Renata choraram ao vivo no JN

Reconhecido pelo fato de seus âncoras, o Jornal Nacional ganhou uma nova cara, mais dinâmica, nos últimos anos. Até porque Renata Vasconcellos e William Bonner nos permitem emocionar no banco, ou isso era impensável algumas décadas atrás.

Recentemente, as diaristas saíram do choro para ou vivem no comando do JN. Principalmente após a pandemia de Covid-19, Bonner e Renata têm sido exibidos como frentes do principal telejornal da Globo.

Confirme, a seguir, cinco vezes em que os apresentadores do Jornal Nacional choraram vivos:

Quarentena do Covid-19

Em 30 de abril de 2020, Guilherme Bonner Ele se emocionou com uma reportagem sobre como as pessoas estão lidando com a quarentena. A rotina de uma carioca incluía, todos os dias, às 18h, um show de canto para os vizinhos à janela.

“O Bonner ficou emocionado”, disse Renata, quando o telejornal virou para o banco. Comovido, respondi-lhe: “Não, não sei. Quase não me emocionou”. A outra então ancorava: “Eu vou encerrar, tá?”.

Projeto em meio a ataques à imprensa

Já no dia 10 de junho de 2021, dia de seu aniversário, foi ao invés de Renata Vasconcellos não consegue conter ou chorar. Ela se emocionou ao falar sobre o projeto da Globo nos bastidores da equipe de jornalismo da emissora em meio aos ataques à imprensa.

“Nós, jornalistas, damos a notícia que nós mesmos vivenciamos. Somos jornalistas. E estamos aqui por vocês, pelo nosso país, por cada um de nós. Essa é a nossa missão. E como posso ajudar as pessoas”, resumiu o âncora na ocasião.

25 anos da GloboNews

No dia 15 de outubro de 2021, quando a GloboNews completou 25 anos, Renata Vasconcellos escolheu o não JN para renomear sua carreira no canal de notícias. “Em diferentes graus, estamos todos muito entusiasmados aqui”, comentou Bonner, parabenizando imediatamente o colega.

“É uma honra beber comigo ou pelo fato de ter participado da estreia do primeiro canal de notícias, 24 horas por dia. Os 25 anos da GloboNews mostram a importância do jornalismo profissional na vida do brasileiro”, afirmou Renata.

Morte de Susana Naspolini

Em 25 de outubro de 2022, a morte do jornalista Susana Naspolini (1972-2022) como colegas na bancada do JN. Renata nem sequer conseguiu se despedir como a tradicional “Boa noite”, como uma chorava. Já Bonner deixou um “até amanhã”, também emocionado.

A reportagem mostrada antes mostrava o amor que a repórter, vítima de câncer, tinha pelos entrevistados. Ela era conhecida por seu caráter autêntico e desprendido das matérias que realizava no Rio de Janeiro, com foco nos problemas enfrentados pela população.

Morte de Roberto Marinho

A morte de Roberto Marinho (1904-2003), fundador da TV Globo, como viveu Bonner há 20 anos, quando ainda dividia a bancada com sua então esposa Fátima Bernardes. Naquele dia, era Renato Machado quem estava ao lado do titular.

Ao ler um editorial da Globo sobre a morte do empresário, Bonner soou com a voz constrangida e precisou fazer uma pausa. Ele abaixou o rosto, mas proseguiu. “Eu vou concluir”, diga, antes de terminar o texto.

Imagem da miniatura do vídeo

.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *